Rosas danst Rosas

Uma rosa é uma rosa é uma rosa é uma rosa …

+ Rosas Danst Rosas | ROSAS | 1983
O verso do poema Emily, escrito por Gertrude Stein em 1913, deu o nome a esta peça. Rosas Danst Rosas é um espetáculo que
 estreou no Festival Kaaitheater em Bruxelas e assinalou, simultaneamente, a estreia oficial da companhia Rosas. As quatro bailarinas que originalmente formaram esta companhia eram todas ex-alunas da Mudra School: Anne Teresa De Keersmaeker, Michèle Anne De Mey, Fumiyo Ikeda e Adriana Borriello. A música de Rosas danst Rosas, da autoria de Thierry De Mey e Peter Vermeersch, foi composta em paralelo com a coreografia. A peça é constituída por quatro partes, e tanto a dança como a música baseiam-se em princípios minimalistas e repetitivos.

imageimageimageimage

+ RE: ROSAS DANST ROSAS | Dani, Hana & Mirella | Ballet Cláudia São Bento | 2014

No início do semestre deste ano de 2014 nossa professora de ballet e dança contemporânea, Cláudia São Bento (Escola de Ballet Cláudia São Bento & Cia dos Homens) nos incubiu de escolher ou criar uma coreografia pra dançar no meio do semestre. Eu fiquei muito indecisa e pedi uma mão ao meu amigo e dançarino Sebastião Soares, estudante de Maestría en Crítica y Difusión de las Artes em IUNA (Argentina). Ele me indicou Rosas Danst Rosas. Eu agradeço muito, porque eu não conhecia essa obra e foi exatamente o que eu precisava e desejava. 

image

Inicialmente comecei a ensaiar sozinha com Mirella Guida, e o grupo foi crescendo e diminuindo ao decorrer dos 3 meses de ensaio, o que modificava a estrutura da coreografia a cada mudança na quantidade de integrantes. No fim ficaram apenas nós três: Eu, Mirella Guida e Daniela Galiza. Ensaiávamos na escola e em casa, e utilizávamos o nosso grupo do facebook para tirar dúvidas, mostrar nosso desempenho e marcar datas.

imageimageimageimageimageimageimageimage

Resultado!:

Ficamos muito felizes com o resultado e tivemos um ótimo feedback. Daniela Galiza, uma das bailarinas, reforça:

A inspiração da Anne Tereza foi aquele verso da Gertrud Stein “A rose is a rose is a rose”.O movimento é bonito por si próprio, sem maiores significações. E também no sentido de recursividade, movimentos repetitivos e intercalados numa lógica de espiral… E pra completar o nome da Companhia de dança é “Rosas”, então “rosas danst rosas” fecha e mantém a continuidade dessa espiral. Esse projeto "Re: rosas" vem para alimentar mais ainda, pois disseminando a obra para o público e recebendo remixes a obra se retroalimenta e se mantém atual e mais potente ainda…

imageimage

+ LINKS
Rosas danst Rosas (1997) | Filme completo com 3 dos 4 movimentos originais: 
image

Thierry De Mey filmou Rosas danst Rosas na antiga escola técnica do arquiteto Henry Van de Velde, em Lovaina. A versão para o cinema é muito mais curta do que o próprio espetáculo. Ele aproveita ao máximo as qualidades geométricas e espaciais do edifício. Aliás, o edifício foi completamente renovado logo após o filme foi feito, tornando-se um dos últimos registros para a arquitetura original. 

imageimageimage

Site oficial da companhia Rosas:image

Facebook da companhia Rosas:image

VRT Documentário | Rosas Danst Rosas Work in Progress (1983):imageimageimageimage

+ CURIOSIDADES
A coreografia de Rosas Danst Rosas fez, em 2013, 30 anos de vida. Com isso, um site comemorativo foi criado, no qual vídeos foram produzidos pela Companhia ensinando o passo-a-passo da coreografia para que as pessoas, dançarinos ou não, possam fazer sua versão re:mixada e enviar para o mesmo. 

Re:Rosas! The fABULEUS Rosas Remix Project
imageimage

Ironicamente há 2 anos antes, em 2011, Beyoncé foi repreendida pela comunidade da dança por imitar e/ou referenciar muitas das cenas da coreografia em seu clipe Countdown, sem nenhum tipo de crédito à Teresa ou ao grupo. Isso trouxe a tona debates sobre apropriação, inspiração e plágio. Porém Anne Teresa viu um lado positivo para a controvérsia, afirmando em uma entrevista de 2011:

"fico contente que Rosas danst Rosas [possa] atingir um público de massa, um desempenho que ela nunca poderia alcançar, apesar de sua popularidade na dança mundial desde 1980."

fonte: BAM blog | Claire Frisbie: The Internet Danst Rosas: Anne Teresa de Keersmaeker for the YouTube Generation (2013)

A resposta para o projeto do site foi ainda mais esmagadora, mais de 1500 pessoas em mais de 30 países apresentaram várias centenas de vídeos até agora. Alguns seguem o modelo das quatro dançarinas original, mas também existem solos, e um possui cerca de 80 pessoas. Alguns são filmados em iPhones, outros por câmeras profissionais. Muitos são de bailarinos e companhias de dança, mas muitos adolescentes (que não eram sequer nascidos quando a peça original estreou, nosso caso!)

Para finalizar três adaptações do projeto que achei interessante:

Identidade visual para o espetáculo “Allegretto : Cancioneiros Ibéricos de Don Quixote” (2014)

Mais: https://www.behance.net/gallery/17250041/Allegretto-Cancioneiros-Ibricos-de-Don-Quixote

Identidade visual para o Motel Luau (2014)
Mais: https://www.behance.net/gallery/17223147/Motel-Luau

Identidade visual para o Motel Luau (2014)

Mais: https://www.behance.net/gallery/17223147/Motel-Luau

Cartaz para o espetáculo “Camaleão e as Batatas Mágicas”, de Maria Clara Machado, montagem de Roberto Lúcio e alunos do curso de Licenciatura em Artes Cênicas (2014)

Mais: https://www.behance.net/gallery/17221935/Camaleao-e-as-Batatas-Magicas

The Book Cover Archive

Mapa ilustrado para a Fundação Gilberto Freyre (2014)
Mais: https://www.behance.net/gallery/Mapa-Fundacao-Gilberto-Freyre/15760869

Flipbook Esqueceram de Mim (2009)